O Sol chegou. Como escolher um protetor solar?

Que o Sol é imprescindível ao planeta Terra, praticamente todos sabem. Talvez nem todos saibam é que a Vitamina D, sintetizada na pele, precisa de luz solar. 

O Sol emite um amplo espectro de radiações e nem todas são nocivas. As que nos fazem, particularmente mal, são as radiações ultravioletas (RUV), principalmente por dois motivos: lesam as células mais superficiais da pele, as células da epiderme e podem desencadear mutações nas células da pele que se estão a dividir. O último motivo pode originar cancro da pele.

Talvez também não saiba, mas a água, a areia, o cimento e a neve podem reflectir até 85% das radiações solares, incluindo as RUV. Uma ideia errada é que a água protege das RUV. Estas penetram na água até uma profundidade 60 cm, portanto, todo o cuidado é pouco.

Outra curiosidade é que existem dois tipos de RUV, a UVA que é constante ao longo do dia e do ano e a UVB que é mais intensa no Verão e entre o meio dia e o final da tarde.

Os sinais de sobre-exposição solar são o eritema (vermelhidão) e a queimadura. Infelizmente, este sinais não são imediatos e quando surgem, já ocorreu lesão da pele. O "bronzeado" é um mecanismo natural de defesa da pele. Obviamente, o nível de protecção obtido com o bronzeado tem limites e não garante 100% de protecção contra os RUV.

Foto por Jelleke Vanooteghem no Unsplash

Os protetores solares, ajudam a proteger a nossa pele dos RUV. Têm de ser aplicados a cada duas horas e depois de sair da água.

Antes de falarmos sobre os protectores solares das crianças, devemos enfatizar que  a exposição solar nas horas de maior intensidade deve ser evitada, sempre. E não só na praia ou na piscina! No carro ou na rua, também.
Os protetores solares devem ser utilizados sempre que a criança esteja exposta ao Sol. 

E a partir de que idade? A partir dos 6 meses. Crianças com menos de seis meses não devem utilizar protetor solar, devem usar vestuário adequado (ou seja, que oculte o máximo de pele possível) e chapéus.

A partir dos seis meses, além do vestuário e dos óculos de sol (o nosso filho já tem uns, mas aguenta-os no máximo, 60 segundos), deve usar um protetor solar, de preferencia mineral.

O que se deve ter em conta ao escolher um protetor solar?


1. Olhar para a sigla SPF (Sun Protecting Factor). Deve ser no mínimo 15. O SPF está relacionado com o bloqueio das UVB's. Deste modo, SPF 15 bloqueia 93% da UVB; SPF30 bloqueia 97% da UVB e SPF50 bloqueia 98% da UVB. O nosso filho utiliza sempre um SPF 50+. Se não existirem doenças dermatológicas, não são precisos protetores solares com SPF mais elevados. (Existem com SPF 100, por exemplo.)


2. O protetor solar também tem de bloquear a UVA, no mínimo deve ser 1/3 do SPF para a UVB. Este valor raramente está na parte da frente da embalagem. Costuma estar na parte de trás e o tamanho da letra é frequentemente mais pequena.


3. O protetor solar deve ter na lista de ingredientes Óxido de Zinco ou Dióxido de Titânio.


4. Evitar protetores solares que também são repelentes de insectos. 

Conheça os protectores solares da Muah