A Importância da Amamentação

A escolha de amamentar o nosso bebé é uma decisão íntima e pessoal. A maioria dos médicos recomenda o aleitamento materno exclusivo, no mínimo, nos primeiros 6 meses. A partir desta idade deve ser combinado com a diversificação alimentar até aos 12 meses de idade.


Quais são os benefícios do aleitamento materno para o meu bebé?

O leite materno fornece ao bebé a alimentação ideal para os primeiros meses de vida. Trata-se de uma combinação de vitaminas, proteínas e gordura praticamente ideais para o crescimento do bebé e com uma digestão naturalmente mais eficaz em comparação com o leite de formulação artificial. O leite materno também possui anticorpos específicos do ser humano que ajudam o bebé a combater infecções.

A amamentação traz outras vantagens, nomeadamente o afecto. A proximidade física com a mãe, o cheiro, o toque e o contacto visual, não só reforça os laços afetivos, como faz o bebé sentir-se mais seguro.


Quais os benefícios do aleitamento materno para mim, mãe?

O aleitamento implica que o corpo da mãe gaste mais calorias, acelerando assim a perda de peso pós-parto. Promove ainda a libertação de uma hormona, a oxitocina, que ajuda a reduzir o tamanho do útero e a diminuir as hemorragias pós-parto. Reduz, também, o risco de desenvolver cancro da mama ou do ovário e o risco de osteoporose.


Quais são os outros benefícios do aleitamento materno?

O benefício económico. O leite de formulação artificial é muito mais dispendioso que o leite materno. Nos primeiros 6 meses pode representar uma despesa entre 300 a 1000€. Benefícios ambientais. O leite humano fornece uma fonte natural, rentável e renovável de leite adequado para os bebés. Não implica uma cadeia industrial de exploração pecuária, transformação, empacotamento e transporte. Apesar de a amamentação necessitar que a mãe se alimente adequadamente, a pegada de carbono é quase insignificante em comparação.


Vou ter leite suficiente para o meu bebé?

Durante os primeiros dias pós-parto a mãe produz um tipo muito especial e exclusivo de leite chamado colostro. É um leite mais espesso e amarelado, mas é perfeito para os primeiros dias do seu bebé. O colostro é importante não só para que o tracto gastrointestinal do seu bebé comece a funcionar,  como é muito rico em anticorpos que o vão proteger nos primeiros meses de vida.

É normal que os bebés percam algum peso nos primeiros 3 a 5 dias de vida, não estando relacionado com a amamentação.

À medida que o bebé se vai alimentando mais, as glândulas mamárias da mãe respondem produzindo cada vez mais leite. Contudo, a suplementação com fórmulas faz com que o bebé necessite de mamar menos, fazendo com que a mãe produza menos leite.

Mesmo que faça um aleitamento inferior a 6 meses, os especialistas recomendam a amamentação nem que seja por um pequeno período.


Qual a melhor posição para eu amamentar?

A melhor posição é aquela em que a mãe e o bebé estão mais confortáveis e relaxados. Algumas posições recomendadas são:

  • Posição de berço - o bebé fica com a barriga contra o seu corpo, apoiando a cabeça por cima do cotovelo da mãe e o corpo no resto do braço que o suporta. A mão que fica livre pode ajudar a equilibrar a cabeça do bebé.
  • Posição de saco - o bebé fica com a cabeça e pescoço apoiados na mão aberta da mãe e o resto do corpo no braço, de costas. A mão livre ajuda a equilibrar o bebé. Esta posição resulta melhor enquanto o bebé é pequeno.
  • Posição materna lateral de amamentação - esta posição resulta bem na amamentação nocturna na cama. A mãe coloca almofadas na cabeça para ficar confortável. Depois, aninha o seu bebé para junto de si e com a ajuda de uma mão livre direciona o mamilo para a boca do bebé. Assim que começa a mamar, a mão ajuda a posicionar gentilmente a cabeça do bebé para o ajudar a mamar na melhor posição.

PAC, a mnemónica da amamentação.

  • P - Paciência - a mãe deve procurar ter paciência e deixar que o bebé mame o tempo que quiser. Não o deve apressar: ele vai demorar cerca de 10 a 20 minutos em cada mama.
  • A - Alerta - a mãe deve estar atenta à linguagem do seu bebé (e à sua intuição) quando ele tem fome. Nas primeiras semanas o bebé vai precisar de se alimentar cerca de 12 vezes em 24 horas. Os sinais de fome são levar as mãos à boca, fazer barulhos de sucção, mexer a boca ou “caminhar” para a mama. O choro pode ser  um sinal de fome.
  • C - Conforto - é fundamental. A experiência da amamentação é exigente para a mãe e para o bebé. Use todas as formas disponíveis de forma a sentirem-se ambos confortáveis.

Quando é que eu não devo amamentar?

Há algumas situações em que a amamentação pela mãe está formalmente contra-indicada:

  • Se está a fazer quimioterapia;
  • Se toma medicamentos para dores de cabeça, doença de Parkinson ou artrites;
  • Se tem alguma das seguintes doenças: SIDA/HIV, tuberculose não tratada;
  • Se ainda usa drogas recreativas como cocaína ou marijuana;
  • O seu bebé sofre de galactosemia (doença muito rara).

Antes de  tomar algum tipo de medicação, é importante falar com o seu Médico Assistente, para que este o posso aconselhar.


Quais são os desafios da amamentação?


Mamilos dolorosos

Muito frequentes nas primeiras semanas de amamentação. A mãe deve assegurar que o bebé mama correctamente e deve terminar a mama com a ajuda de um dedo (e não “arrancar” o bebé da mama). Quando possível alterne o máximo possível de mama de forma a esvaziar todos os dias cada mama. Se necessário, aplique gelo no mamilo doloroso de modo a aliviar a dor.

Mamilos secos e gretados

Deve evitar usar sabões, cremes perfumados ou loções alcoólicas nos mamilos. Deve proteger os mamilos com discos e aplicar um bálsamo protector.


Preocupação com a quantidade de leite

Um bebé que tenha de mudar de fralda entre seis a oito vezes por dia é, em regra, um bebé que está a ser bem alimentado. A mãe deve ter em atenção que está a produzir leite e, por isso, também ela tem de se alimentar, descansar e hidratar corretamente de forma a produzir o melhor leite para o seu bebé.


Armazenar leite materno

O leite materno pode ser colhido e armazenado no máximo até dois dias. Pode congelar o leite até 6 meses, no entanto, para o usar, descongele à temperatura ambiente.

Aumento mamário

É um sinal de saúde da mãe e acontece quando ficam cheios de leite. Todavia, pode tornar-se uma situação desconfortável, a qual se pode aliviar colhendo leite com uma bomba ou aplicando gelo/calor alternadamente.

Mastite 

Infecção relativamente frequente, desencadeada pela entrada de bactérias dentro da glândula mamária, muitas vezes, através de mamilos secos e gretados. Se a mãe sentir a mama dolorosa e ao mesmo tempo febre, cansaço e sintomas de gripe, deve consultar um profissional de saúde. Os sinais de alerta são:

  • A mama torna-se demasiado vermelha, endurecida ou muito dolorosa
  • Os mamilos libertam um fluído anormal
  • A mãe está preocupada que o bebé não está a ganhar peso ou que haja pouco leite produzido

Em Portugal há um enquadramento legal para a amamentação?


Sim, a lei portuguesa contempla o direito à amamentação no Artigo 35º do Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009 de 12 de Fevereiro) através de um formulário próprio para o efeito. A mãe deve-se informar junto das entidades de Recursos Humanos.

 

Escrito por Dr. João Dinis

Revisão: Dr. André Dinis e Dra. Cátia Alves

 

__

Bibliografia

Brennann, Dan. 2017 Breastfeeding Overview - https://www.webmd.com/parenting/baby/nursing-basics#1

Why is Breastfeeding Important for your Baby? 2015 https://www.health.ny.gov/prevention/nutrition/wic/breastfeeding/importance.htm

Office of the Surgeon General (US); Centers for Disease Control and Prevention (US); Office on Women's Health (US). The Surgeon General's Call to Action to Support Breastfeeding. Rockville (MD): Office of the Surgeon General (US); 2011. The Importance of Breastfeeding. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK52687/

Decreto Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro